Buscar
  • Lígia Gonçalves Silva

Comunicação no casal

Atualizado: Fev 7



A comunicação eficaz numa relação é uma das estratégias mais poderosas que os casais têm para fortalecer o seu relacionamento. Gottman, através da sua investigação na área de relacionamentos, fala-nos dos quatro mecanismos comunicacionais mais prejudiciais e ineficazes na resolução de problemas.



Criticar

Evite criticar o seu parceiro em que circunstância for, especialmente à frente de outras pessoas. Apesar de, no momento, nos fazer sentir bem, a crítica dificilmente gerará mudança de comportamento - uma vez que se foca na pessoa e não no comportando, fazendo com que esta se sinta atacada. Ninguém gosta de ser criticado e esta situação é, muitas vezes, motor de discussões entre o casal.

  • O que fazer?

Transformar a crítica numa “reclamação/queixa” focada no comportamento e nos nossos sentimentos

- dizer ao outro como determinada ação sua nos faz sentir.

  • Exemplo

Crítica: “Tu és um preguiçoso. Nunca arrumas nada!”

Reclamação: “Estou com dificuldade em fazer todas as tarefas, e começo a ficar frustrada e cansada.

Importas-te de lavar a louça do jantar? Era uma grande ajuda para mim”.

Deve seguir a fórmula “Eu sinto-me (sentimento) porque (reclamação/queixa)”.



Menosprezar

Se um dos membros do casal diminuiu ou ridiculariza o outro, estamos perante uma situação de abuso e menosprezo. É importante que pare imediatamente. Mesmo que considere que é apenas “uma brincadeira” ou “uma piada”, é um tipo de humor hostil que deve ser evitado a todo custo.

  • O que fazer?

Demonstrar e tratar sempre o outro com respeito. Buscar maneiras de o incentivar, valorizar, elogiar e reforçar positivamente.



Obstruir a comunicação

Quando pensamos “não vou dizer nada para não iniciar uma discussão” ou “não vou responder mais” poderemos estar a fazê-lo com uma boa intenção. Contudo, ficar em silêncio, ignorar o outro ou até mesmo abandonar o local, pode ser tão prejudicial quanto dizer algo. Ao obstruirmos a comunicação estamos a fechar-nos completamente ao diálogo e à resolução da situação, desrespeitando também o outro.

  • O que fazer?

Ignorar a situação nunca ajudará a resolver um problema. Quando o seu cônjuge estiver chateado, faça uso do silêncio. Em vez disso, ouça-o com atenção, tente entender as suas preocupações, partilhe também as suas. Lembre-se de não criticar, mas sim “reclamar”.



Posição Defensiva

Muitas vezes, as pessoas colocam-se numa posição defensiva porque pensam isso as ajudará numa discussão. Se se sentem atacadas ou tratadas de forma injusta, tendem a tentar convencer o outro de que está errado e assim talvez terminar a discussão. Contudo, se um dos elementos do casal nunca assume a responsabilidade pelas suas ações, fazendo constantemente do outro o “vilão”, a situação ficará, na verdade, ainda pior. Colocarmo-nos numa posição defensiva faz com que não consigamos ouvir o outro.

  • O que fazer?

Dizer apenas “sim, eu entendo” pode, como por magia, acalmar ou mesmo terminar uma discussão. É importante assumirmos a nossa responsabilidade nos problemas da relação - “o que é que eu fiz para contribuir para este problema?”. É essencial que os elementos do casal façam esta análise, em vez de culpar o outro e assumir para si um papel de vítima. Não é fácil, mas pode ter um efeito muito poderoso na relação!


Fonte: John Gottman e Nan Silver, The Seven Principles for Making Marriage Work.

0 visualização
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social

©2020 by ligiagoncalvessilva